Soldados israelenses matam dois palestinos na Cisjordânia

Agência EFE

CISJORDNIA - Soldados do Exército israelense mataram dois palestinos numa aldeia do distrito cisjordaniano de Jenin, durante uma operação de detenções, informaram fontes militares e testemunhas.

Segundo as fontes militares, os israelenses entraram na aldeia Kufer Dan para prender dois homens procurados, que se refugiaram numa casa e de lá atiraram na patrulha. Os soldados responderam aos tiros.

Fontes palestinas informaram que um dos dois mortos no tiroteio era um comandante do braço armado da Jihad Islâmica, e o segundo, um miliciano do Fatah.

Pelo menos 30 veículos 4x4 militares foram usados na operação, segundo as testemunhas.

As fontes militares israelenses disseram que na Faixa de Gaza um de seus homens foi ferido pelos tiros de milicianos palestinos. Os soldados reagiram e, segundo o Exército, "atingiram dois palestinos que teriam morrido".

Em outro tiroteio, também perto da fronteira, soldados israelenses dispararam contra outros três palestinos, que foram atingidos. Por enquanto, o estado deles ainda não foi confirmado por fontes da Faixa de Gaza.

Forças israelenses permanecem desde ontem à noite em território da Faixa de Gaza, perto da passagem fronteiriça de Kisufim, revelou um porta-voz do Exército. Ele informou que "sua missão é destruir as infra-estruturas terroristas e impedir que milicianos do Hamas se aproximem da fronteira".

O Exército israelense deteve nesta madrugada em diferentes pontos da Cisjordânia 15 palestinos. Foram oito membros do Hamas, dois do Fatah e os outros de filiação não confirmada.