Rússia vai perder 17 milhões de habitantes até 2025

Agência AFP

MOSCOU - Os países da extinta URSS e da Europa central enfrentam problemas relacionados ao envelhecimento da população e só a Rússia poderá perder 17 milhões de habitantes até 2025, estima o Banco Mundial em relatório divulgado nesta quarta-feira.

Trata-se da "única região do mundo que enfrenta simultâneamente um envelhecimento rápido, com populações relativamente pobres e uma transição incompleta em direção a uma economia de mercado", destaca o banco neste estudo.

Por comparação, países mais desenvolvidos como a França, a Itália ou o Japão, estão mais bem posicionados para enfrentar o problema do envelhecimento, destaca Arup Banerji, um dos autores do estudo intitulado "Do vermelho ao cinzento: a 3a transição das populações que envelhecem na Europa do Leste e na extinta URSS".

O problema é a "interação de três transições: demográfica, econômica e política, o que faz desta região um caso único, com desafios únicos", destaca. Cita o exemplo da Geórgia, que é o país mais pobre com um sério envelhecimento, e que poderá, como conseqüência, perder um quinto da população em 20 anos.

O conjunto da região, ou seja 28 países, poderá perder 24 milhões de habitantes, e os que vão ficar serão mais idosos, prosseguiu o Banco Mundial.

Em 2025, na Eslovênia a idade média será de 47 anos - um dos níveis mais elevados do mundo.

Estas populações exercerão pressões "potencialmente insuportáveis" sobre os gastos públicos, em particular em matéria de aposentadorias e de cuidados a longo prazo. Um problema que se torna mais grave devido ao fato de muitos países não possuirem um sistema adequado, segundo o relatório.

Para enfrentar o "choque de gastos" no futuro, o Banco recomenda uma série de reformas do sistema de aposentadorias, relacionado mais à idade do que ao cálculo das pensões.

Apóia a necessidade de uma "forte alta da produtividade", passando por uma atenção especial ao mercado financeiro e a um mercado de trabalho mais flexível, através de melhor utilização dos recursos humanos".