Islâmicos malaios criticam posse de Salman Rushdie como Sir

Agência EFE

KUALA LUMPUR - Seguidores do Partido Pan-islâmico da Malásia (PAS, em inglês) protestaram nesta quarta-feira em frente à embaixada do Reino Unido no país contra a concessão do titulo de Cavaleiro do Império Britânico ao escritor anglo-indiano Salman Rushdie, segundo a imprensa local.

Cerca de 30 partidários do PAS gritavam 'morte a Salman Rushdie' e 'destruam a Grã-Bretanha', e pediram ao Governo britânico que retire o recém-concedido título de Sir ao escritor sob ameaça de represálias.

O tesoureiro do PAS, Hatta Ramli, disse, após entregar um comunicado aos funcionários da embaixada, que a honra concedida a Rushdie 'manchou os outros cavaleiros e a fama de todo o sistema britânico'.

- O Governo britânico deve ser responsável, pois criou um sentimento de raiva não só contra Salman Rushdie, mas também contra o próprio Governo - disse.

Aproximadamente 40 policiais, alguns com cassetetes, protegiam a embaixada britânica.

Irã e Paquistão expressaram sua rejeição à homenagem feita a Rushdie, qualificando-a de 'ofensiva'.

Rushdie foi condenado à morte no Irã em uma fatwa lançada pelo aiatolá Khomeini, em 1989, pelo romance 'Versos Satânicos'.