Fujimori só pode disputar eleições se voltar ao Japão esta semana

Agência EFE

CHILE - O ex-presidente peruano Alberto Fujimori, que cumpre prisão domiciliar no Chile, teria que fixar residência num distrito eleitoral do Japão ainda esta semana para atender ao prazo estipulado para os candidatos às eleições à Câmara Alta, disseram fontes oficiais.

A norma eleitoral japonesa estipula que os candidatos à eleição, prevista para 29 de julho, têm que residir no distrito eleitoral que representam pelo menos 35 dias antes das votações.

O ex-presidente do Peru recebeu no Chile a proposta de um partido minoritário japonês, formado por um influente político, para apresentar sua candidatura. Mas não deu uma resposta.

- Alberto Fujimori deixou pendente sua resposta definitiva, analisando os benefícios para o povo peruano de uma eventual eleição como senador no Japão - informou o escritório de imprensa do ex-governante.

O Novo Partido dos Cidadãos (Kokumin Shinto Nippon) é controlado por Shizuka Kamei, um dissidente do governamental Partido Liberal-Democrata e simpatizante de Fujimori.

Durante os cinco anos de exílio de Fujimori no Japão, entre 2000 e 2005, Kamei mostrou abertamente seu apoio ao ex-governante, apesar do alerta vermelho emitido pela Intepol.

A nacionalidade japonesa de Fujimori foi reconhecida pelo Governo japonês desde a sua chegada a Tóquio, em 2000, e serviu de argumento contra os pedidos de extradição enviados pelo Peru.