Desabamento em fábrica causa pelo menos 10 mortos na Argentina

Agência EFE

BUENOS AIRES - Pelo menos dez pessoas morreram hoje e outras quatro ficaram feridas por causa de um desabamento ocorrido nas instalações da empresa Aluar, a maior fabricante de alumínio da Argentina, localizadas no sul do país.

O diretor da Defesa Civil da província de Chubut, Evaristo Melo, assegurou que 'muitos dos mortos são estrangeiros' e que 'um dos feridos é de nacionalidade boliviana'.

Os bombeiros da cidade de Puerto Madryn, a mais próxima à fábrica, disseram que por causas que ainda são desconhecidas o teto de concreto de um silo que estava em construção desabou e vários trabalhadores ficaram presos entre os escombros.

"Foram tirados dez corpos do silo e três feridos foram levados ao hospital da região, enquanto um quarto foi atendido no lugar e se encontra em casa', informou o chefe do destacamento de bombeiros de Puerto Madryn, Marcelo Yedro.

A estrutura que caiu tinha cerca de 50 metros de altura e a remoção dos escombros, que demandou várias horas, foi realizada por 15 destacamentos dos bombeiros e pessoal da Defesa Civil.

A fábrica de Aluar foi inaugurada em 1974 e a construção do silo fazia parte de umas obras de ampliação das instalações que a empresa possui nos arredores de Puerto Madryn, cidade situada a 1.400 quilômetros ao sul de Buenos Aires.

Dos quatro feridos, três sofreram traumatismos graves e foram operados em diferentes centros médicos de Puerto Madryn, onde permaneciam nas unidades de terapia intensiva, disseram fontes médicas.