Camboja liberta oito estrangeiros detidos por criticar o Governo

Agência EFE

CAMBOJA - A Polícia cambojana libertou os oito estrangeiros detidos na última terça-feira por distribuir panfletos com críticas ao Governo do Camboja durante a reunião de um grupo de países doadores na capital do país, informa a imprensa.

O jornal Cambodia Daily afirmou que os detidos eram três americanos, dois canadenses, um britânico, um dinamarquês e um neozelandês. Eles recuperaram a liberdade nove horas depois da detenção, prometendo que não voltariam a promover protestos.

Os panfletos pediam ao Governo a libertação de Born Samnang e Sok Sam Oeun, condenados a 20 anos de prisão pelo assassinato, em 2004, do líder sindicalista Chea Vichea. Segundo o grupo defensor dos direitos humanos Human Rights Watch, os dois são inocentes e foram julgados sem provas.

Várias ONGs que trabalham no país organizaram atos e manifestações para denunciar a corrupção e o abate ilegal de árvores com a esperança de que o Grupo Consultivo do Camboja, presidido pelo Banco Mundial, pressione o Governo.

A reunião dos doadores, que começou na terça-feira e acaba hoje, deverá aprovar uma ajuda de US$ 601 milhões para o Camboja em 2007, o mesmo valor do ano passado. O Governo cambojano conta com o fundo para financiar pelo menos metade do orçamento geral do Estado.