Promotora chilena recomendará extradição de Fujimori para o Peru

REUTERS

SANTIAGO - A Promotoria chilena recomendará que o ex-presidente peruano Alberto Fujimori seja extraditado para o Peru, a fim de enfrentar acusações de abusos aos direitos humanos e corrupção, disseram na quinta-feira fontes judiciais.

A promotora Mónica Maldonado fará a recomendação em um relatório que vai entregar, ainda na quinta-feira, ao juiz Orlando Alvarez, segundo as fontes.

Alvarez é encarregado do processo de extradição que se iniciou há mais de um ano. A decisão do juiz poderá ser apelada tanto pela defesa como pela promotoria.

Fujimori, 68, foi preso no Chile em novembro de 2005, quando chegou de surpresa do Japão.

O Peru acusa o ex-presidente de desviar 15 milhões de dólares e de usar medidas antiterrorismo excessivas durante sua Presidência, de 1990 a 2000, mas Fujimori nega as acusações.