Gonu perde força, mas deixa um morto e vários feridos no Irã

Agência EFE

IRÃ - Uma pessoa morreu e várias ficaram feridas no Irã pela passagem do ciclone tropical Gonu, que chegou às áreas do sul do Golfo Pérsico, vindo de Omã, mas com menos força.

Várias localidades da província de Ormuzkan, no sul do Irã, foram afetadas por intensas chuvas e ventos de 200 km/h. A pior situação foi no porto de Bandar Abbas, no litoral do Golfo.

O diretor do Centro de Desastres Naturais de Bandar Abbas, Yasser Hezbaui, disse hoje que o Gonu entrou ontem à noite no território iraniano. O ciclone arrancou dezenas de árvores e deixou sem eletricidade os habitantes de várias localidades do sudoeste do país.

Os especialistas afirmam que o ciclone está perdendo força, e que se transforma de forma gradual numa tempestade tropical. Mas Hezbaui voltou a pedir que os habitantes das cidades de Keshm, Larak, Hankam e Gasek não se aproximem da costa até a noite desta quinta-feira.

As autoridades iranianas negaram que suas instalações petrolíferas tenham sofrido graves conseqüências. Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos também descartaram danos graves.

Em algumas localidades orientais dos Emirados, próximas a Omã, as intensas chuvas causaram inundações. Mas não há informações de vítimas nem grandes danos materiais.

As autoridades de Omã, o país que mais foi afetado, anunciaram hoje que começaram a avaliar os danos materiais que, segundo comentaristas, podem alcançar centenas de milhões de dólares. O porto de Sohar, o maior do país para exportação de petróleo, assim como a principal usina petroquímica, no litoral leste, foram fechadas na noite de terça-feira.