Evo Morales se reúne com Fidel Castro em Havana

Agência EFE

HAVANA - O presidente da Bolívia, Evo Morales, se reuniu nesta quinta-feira por quase três horas com Fidel Castro, dois dias depois de o líder cubano reaparecer na televisão na sua primeira entrevista após dez meses se recuperando de uma cirurgia.

- Ele pareceu estar recuperado, e sobretudo muito satisfeito - disse Evo Morales em declarações à televisão cubana, pouco antes de deixar a ilha, à tarde.

De acordo com a fonte, o fraternal e emocionante encontro durou quase três horas. Os dois conversaram sobre os programas médicos de colaboração conjunta, o processo de integração da Alternativa Bolivariana para as Américas (Alba) e temas da atualidade internacional.

- Estou muito contente de ver de novo o comandante Fidel, sempre preocupado com a vida e a Humanidade. Conversamos sobre diferentes temas, como energia, desenvolvimento econômico, saúde e educação - disse Morales.

- Tenho certeza de que vamos continuar conversando. Ele me convidou para voltar a qualquer momento para retomar a conversa e debater alguns temas importantes - acrescentou.

Durante sua rápida visita a Cuba, Morales se reuniu também com Raúl Castro, presidente em exercício desde 31 de julho do ano passado.

O encontro com Rául Castro transcorreu em ambiente fraternal e de plena solidariedade que caracteriza as relações entre Cuba e Bolívia, disse uma nota divulgada no programa Mesa-Redonda da TV cubana.

A reunião entre Castro e Morales também contou com a participação do vice-presidente cubano Carlos Lage, do chefe do Departamento de Relações Internacionais do Comitê Central do Partido Comunista, Fernando Remírez de Estenoz, do chanceler Felipe Pérez Roque e do embaixador cubano na Bolívia, Rafael Daussá.

Evo Morales chegou à Havana na manhã de hoje e foi recebido por Lage no aeroporto internacional José Martí.

Morales visita a ilha após o reaparecimento do líder cubano Fidel Castro em entrevista transmitida na última terça pela TV local, a primeira que concede desde o dia 31 de julho do ano passado, quando delegou o poder a seu irmão Raúl, ministro da Defesa.

Este ano, Fidel Castro recebeu o presidente venezuelano, Hugo Chávez, em janeiro; uma delegação do Partido Comunista da China, em abril; uma delegação vietnamita, na semana passada; e Evo Morales.

Também teve um encontro, em março, com o escritor colombiano Gabriel García Márquez, prêmio Nobel de Literatura.