Evo Morales aceita renúncia de ministro da Educação e viaja a Cuba

Agência EFE

LA PAZ - O presidente da Bolívia, Evo Morales, aceitou a renúncia do ministro da Educação e Cultura, Víctor Cáceres, por ter perdido a confiança nele, e depois viajou a Cuba. Em comunicado divulgado na noite de quarta-feira, o Palácio do Governo de La Paz confirmou a saída do titular de Educação, sem dar mais explicações sobre os motivos da decisão de Cáceres.

No entanto, o vice-presidente boliviano, Álvaro García Linera, disse que 'houve uma perda de confiança do Governo em relação ao ministro', um professor aposentado militante do Partido Comunista da Bolívia.

- O presidente e o vice-presidente foram vítimas de três mentiras - afirmou García Linera, sem detalhar os supostos erros cometidos pelo ministro. Víctor Cáceres, o segundo ministro da área no Governo socialista de Morales, apresentou sua renúncia após quatro meses e meio no exercício do cargo.

O presidente Morales 'está analisando quem será o sucessor de Cáceres', explicou o comunicado, antecipando que o novo ministro da Educação tomará posse quando Evo Morales retornar de Cuba, para onde viajou nesta quinta.

O presidente da Bolívia foi realizar uma visita de trabalho, na qual deve se reunir com altos funcionários do Governo da ilha, informou a imprensa local. Morales foi recebido pelo vice-presidente Carlos Lage no aeroporto José Martí, de Havana, onde chegou por volta das 6h (7h em Brasília).