Visita de Bush à Itália vai provocar fechamento de escolas

Agência EFE

ROMA - As escolas de Roma fecharão no sábado, apesar de ser dia letivo, por motivos de segurança devido à visita do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, que levará à mobilização de cerca de 10 mil agentes, revelou a Chefia de Polícia da capital italiana. Estas são apenas duas das medidas a serem adotadas para garantir a segurança de Bush, que, ao incluir em sua agenda uma visita ao bairro turístico de Trastevere, deixará o Centro de Roma repleto de agentes por todas as ruas.

Apesar disso, o chefe de Polícia da cidade, Achille Serra, disse que 'nenhuma área será fechada' durante a estadia do presidente dos Estados Unidos, além das interrupções no trânsito para a passagem da caravana de veículos oficiais.

No entanto, Serra anunciou que as escolas serão fechadas no sábado, assim como o espaço aéreo, que ficará completamente proibido para vôos comerciais e privados meia hora antes e depois da chegada e da saída do avião de Bush.

A parte mais delicada para a segurança será a visita que Bush e sua mulher, Laura, querem fazer à Igreja de Santa Maria em Trastevere, na praça de mesmo nome, e à Comunidade de São Egídio, uma associação católica empenhada na mediação de conflitos.

A visita a essa comunidade, chamada de 'ONU do Trastevere' pela imprensa local, causou surpresa na Itália, já que ela foi uma das associações mais críticas da Guerra do Iraque.