Coréia do Sul, China e EUA tentam liberar contas norte-coreanas

Agência EFE

SEUL - Coréia do Sul e Estados Unidos vão tentar solucionar o problema do dinheiro da Coréia do Norte retido em Macau para iniciar a desnuclearização norte-coreana, de uma forma que possa ser aceita por todos os países envolvidos, informou nesta quarta-feira a agência sul-coreana Yonhap.

Segundo fontes oficiais sul-coreanas citadas pela "Yonhap", o ministro de Relações Exteriores sul-coreano, Song Min-soon, e a secretaria de Estado dos EUA, Condoleezza Rice, conversaram por telefone recentemente para tentar solucionar o problema.

O ministro de Relações Exteriores chinês, Yang Jiechi, que se encontrava em Seul para participar do Diálogo para a Cooperação na Ásia, entre os dias 4 e 5, também conversou com Rice para discutir o problema do dinheiro norte-coreano depositado num banco de Macau.

Ontem a Rússia ofereceu seus bancos para que os US$ 25 milhões bloqueados no Banco Delta Asia (BDA) possam ser transferidos à Coréia do Norte.

A impossibilidade de transferir o dinheiro de Macau a Pyongyang devido a "problemas técnicos" tem sido o maior obstáculo para o início da desnuclearização norte-coreana no prazo previsto, que venceu em 14 de abril.

Pyongyang se nega a dar qualquer passo antes de receber o dinheiro, que permaneceu bloqueado durante um ano e meio a pedido de Washington.

Os EUA pediram que Coréia do Sul, China, Rússia e Japão ajudem no caso.

As fontes citadas pela "Yonhap" acrescentaram que se o processo de desnuclearização não começar em junho pode haver uma mudança na política americana para a Coréia do Norte.