Militante anti-G8 é preso na véspera de encontro na Alemanha

REUTERS

BERLIM - Um militante anti-G8 foi condenado a 10 meses de prisão sem direito a liberdade condicional, nesta terça-feira, por atirar pedras em policiais durante violentos conflitos em uma manifestação na cidade portuária de Rostock no último fim de semana. O homem de 31 anos, identificado apenas como Hans-Juergen S., foi considerado culpado de cometer grave lesão corporal depois de uma audiência que foi acelerada após os confrontos de sábado.

Milhares de manifestantes são esperados em uma passeata de cunho pacífico em Rostock nesta semana contra as políticas das nações mais industrializadas do mundo e devem se reunir nas cercanias do resort de Heiligendamm.

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, receberá os líderes do G8 por mais de dois dias de conversas que começam na quarta-feira. Manifestantes entraram com um recurso contra as medidas para barrá-los de chegar perto do local, que é cercado por uma cerca de aço e concreto de 12 quilômetros. A polícia informou que quase mil pessoas ficaram feridas no sábado quando uma passeata pacífica se tornou violenta. Cerca de 2.000 manifestantes vestidos de preto, muitos deles com lenços e máscaras, atacaram a polícia com pedras e garrafas. Mais tarde, carros e latas de lixo foram incendiadas e vitrines de lojas danificadas. A polícia está preparada para novos casos de violência na cidade nesta semana e cerca de 16 mil policiais permanecem de serviço.