Ex-assessor de Cheney é condenado a 30 meses de prisão

REUTERS

WASHINGTON - Lewis Libby, ex-assessor do vice-presidente dos Estados Unidos, Dick Cheney, foi condenado a 30 meses de prisão, nesta terça-feira, por mentir e obstruir investigações ligadas à guerra do Iraque. Os investigadores estavam tentando verificar quem vazou a identidade da agente da CIA Valerie Plame em 2003, depois de seu marido ter acusado o governo do presidente George W. Bush de manipular informações de inteligência para preparar a invasão do Iraque.

O juiz Reggie Walton também determinou multa de US$ 250 mil e dois anos de suspensão condicional da pena.

Os advogados do ex-assessor do vice-presidente Dick Cheney devem pedir ao juiz para suspender a pena durante a apelação.