Chefe do Pentágono não sabe quem está vencendo na guerra com Al Qaeda

Agência EFE

WASHINGTON - O secretário de Defesa americano, Robert Gates, disse neste sábado em Cingapura que é cedo para julgar que lado está ganhando a guerra que os Estados Unidos e seus aliados declararam à Al Qaeda após os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001.

- Ainda estamos numa etapa prematura para julgar que lado está ganhando - disse Gates, convidado da conferência sobre segurança na região Ásia-Pacífico que acontece anualmente em Cingapura.

Após seu discurso, Gates respondeu uma pergunta de um dos participantes da reunião sobre os resultados da luta travada contra a Al Qaeda.

- Não progredimos o suficiente na tentativa de nos fixar em algumas das raízes do terrorismo - ressaltou, destacando entre essas, "a pobreza e os regimes despóticos".

Gates, que pediu aos países da Ásia maior cooperação no combate ao terrorismo internacional, destacou que o "desafio representado pelos terroristas estimulados por idéias radicais não pode ser superado por apenas uma nação". O secretário de Defesa americano também apontou o Afeganistão como uma das áreas nas quais a luta contra o terrorismo progrediu desde a derrota, em 2001, do regime talibã e de seus aliados da Al Qaeda.

Porém, ele reconheceu que, desde então, os extremistas recuperaram um pouco do terreno perdido.

- Aprendemos uma dura lição: permitir que Estados fracassados se transformem em santuários do terrorismo tem conseqüências catastróficas - acrescentou.