Burns conversa com autoridades indianas sobre pacto nuclear bilateral

Agência EFE

NOVA DÉLHI - O subsecretário de Estado americano, Nicholas Burns, conversou neste sábado com as autoridades indianas em uma tentativa de resolver suas divergências sobre o pacto nuclear bilateral, disse um porta-voz da embaixada dos Estados Unidos em Nova Délhi. As partes 'estão avançando' no diálogo, disse a fonte, acrescentando que Burns se reuniu hoje novamente com o secretário de Exteriores indiano, Shiv Shankar Menon, e possivelmente deverá encontrar o primeiro-ministro do país, Manmohan Singh, antes de voltar a Washington esta noite.

A Índia e os Estados Unidos assinaram um pacto nuclear em março de 2006, mas ainda não conseguiram finalizar a redação do artigo 123, que regula aspectos fundamentais do acordo. Em virtude do acordo, a Índia se comprometeu a separar seus programas nucleares civil e militar e a colocar o primeiro sob a supervisão da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA). Já os EUA garantiram a aprovação do Congresso americano e da comunidade internacional para que a Índia tenha acesso à tecnologia atômica estrangeira.

Segundo informações que vazaram para a imprensa indiana, um dos maiores obstáculos para pôr um ponto final no artigo 123 é a recusa de Washington em permitir que a Índia reprocesse combustível nuclear americano.

No entanto, os EUA ofereceram garantias de fornecimento por toda a vida útil dos reatores que a Índia colocar sob a supervisão da AIEA. A outra grande divergência é sobre a insistência de Washington em que haja uma cláusula que inclua a obrigação da Índia de devolver o equipamento atômico fornecido pelos EUA caso o país faça novos testes nucleares.

Neste caso, a Índia estaria apenas disposta a garantir uma "moratória' dos testes, para preservar a autonomia de seu programa estratégico militar, que é posta em questão no acordo, segundo a oposição indiana. Burns, principal encarregado das negociações com a Índia, disse na sexta-feira que as partes estavam 'trabalhando duro e bem' para poder assinar um acordo. Apesar de o objetivo ser obter o pacto antes do encontro de Singh com o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, durante a cúpula do G8 (sete países mais ricos do mundo e a Rússia) na Alemanha, na semana que vem, Burns disse que é 'difícil' prever se isto ocorrerá. O primeiro-ministro da Índia também fará uma visita oficial aos EUA possivelmente em setembro, quando assinaria o acordo nuclear.