Venezuela critica cobertura de TV espanhola no caso da RCTV

Agência EFE

CARACAS - O embaixador da Venezuela para a União Européia (UE), Alejandro Fleming, citou imagens de agentes brasileiros em uma operação nacional, exibidas pela 'Televisión Española' ("TVE") como exemplo de 'manipulação internacional' da decisão do Governo venezuelano de não renovar a licença da 'RCTV'.

Em entrevista coletiva, Fleming disse que, na segunda-feira, os noticiários da 'TVE' exibiram imagens que seriam dos protestos contra o fechamento da 'RCTV'. Na versão do diplomata, os policiais que aparecem com materiais antidistúrbios não são venezuelanos, mas agentes brasileiros, em uma operação no Brasil.

- Na Venezuela, a Polícia está proibida de usar armas de fogo em manifestações. A Polícia só pode utilizar escudos, para conter e proteger os manifestantes - afirmou o diplomata.

- O que mostra a 'TVE'? Policiais com fuzis e um carro no qual se lê 'Polícia', e policiais que investem contra uma manifestação. As imagens não são da Venezuela, mas de uma manifestação que ocorreu em algum lugar do Brasil - acrescentou.

Fleming distribuiu aos jornalistas cópias de um DVD editado na Embaixada venezuelana na UE, com as informações mencionadas. O DVD, intitulado 'Plano de Desestabilização da Venezuela', inclui ainda uma informação do serviço da 'CNN' em espanhol, que, de acordo com o embaixador, exibe 'imagens de uma manifestação no México atribuídas à Venezuela'.

Além disso, figuram as imagens da tentativa de assassinato do papa João Paulo II, em 1981, que recentemente foram transmitidas pelo canal 'Globovisión', também opositor ao Governo, e que o presidente, Hugo Chávez, considerou uma incitação à sua morte.

O DVD também contém declarações nas quais o prefeito opositor do município de Chacao, Leopoldo López, 'incita a violência', segundo disse o embaixador; um discurso do ministro de Comunicação venezuelano, William Lara, interrompido pelo locutor da 'Globovisión', e 'agressões contra jornalistas' do canal público 'Venezolana de Televisión' (VTV).

Para o diplomata, as imagens mostram que o 'final da concessão à 'RCTV' não representa o final dos ataques dos setores 'antidemocráticos da oposição, que controlam os grandes veículos de comunicação', contra o Governo de Chávez.