Hamas considera 'positivo' diálogo no Egito sobre crise com Fatah

Agência EFE

CAIRO - O movimento islâmico Hamas descreveu nesta sexta-feira como 'muito positivas e bem-sucedidas' as conversas mantidas no Cairo nos últimos dois dias com mediadores egípcios, a fim de tentar solucionar o conflito entre este grupo e o nacionalista Fatah.

O dirigente do Hamas Moussa Abu Marzuk, vice-diretor do escritório político, se reuniu com o general Omar Suleiman, diretor do Serviço de Inteligência egípcio, que também dialogou - mas separadamente - com uma delegação do Fatah, segundo a agência egípcia de notícias 'Mena'.

O vice-primeiro-ministro da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Azzam al-Ahmed, liderou a comitiva do Fatah que foi ao Cairo para tentar encontrar uma solução através da mediação egípcia.

- O diálogo com o general Suleiman foi muito positivo e bem-sucedido, e nele foram tratados todos os passos necessários para parar o derramamento de sangue palestino, disse Marzuk a 'Mena'.

O responsável do Hamas acrescentou que 'estamos buscando a realização de uma reunião na qual participem todas as facções palestinas, incluindo o Hamas e o Fatah, para encontrar um mecanismo que possa ser aplicado a qualquer acordo que for alcançado no futuro'.

Além disso, Abu Marzuk negou que o Egito esteja agindo com parcialidade na crise, favorecendo o grupo Fatah, facção liderada pelo presidente da ANP, Mahmoud Abbas.

A iniciativa para estas conversas foi lançada pelo Egito após a explosão de violência entre os dois grupos palestinos, que causou a morte de dezenas de pessoas e foi descrito como o conflito interno mais grave desde a criação da ANP, em 1993, após a assinatura dos Acordos de Oslo.