Guerrilheiros matam dois paramilitares no sudeste das Filipinas

Agência EFE

FILIPINAS - Supostos rebeldes do Novo Exército do Povo (NEP) assassinaram dois paramilitares que protegiam uma torre de telecomunicações na região sudeste do arquipélago filipino, informou nesta sexta-feira o site Minda News.

O incidente aconteceu na quinta-feira, quando vários membros da Unidade Geográfica de Forças Armadas Civis (Cafgu, sigla em inglês) vigiavam a estrutura, enquanto seus companheiros reparavam uma tubulação de água em Compostela Valley, 970 quilômetros a sudeste da capital.

As vítimas foram surpreendidas pela chegada de sete guerrilheiros comunistas que, segundo fontes policiais, haviam sabotado o encanamento para armar a emboscada, na qual morreram duas pessoas.

Um ataque semelhante em 2005 contra a mesma torre de telecomunicações, propriedade da operadora de telefonia celular Globe, foi frustrado pelo Exército. A operação terminou com vários militares feridos e alguns rebeldes detidos.

O Cafgu é um grupo paramilitar criado durante a ditadura de Ferdinand Marcos para combater os movimentos armados comunistas e islâmicos. Seus membros são os herdeiros da Força Civil de Defesa Interna, também conhecida como Grupos Atentos. Eles são acusados de violações dos direitos humanos, segundo ONGs filipinas.

Atualmente são cerca de 40 mil membros, em todo o arquipélago.

Sob o comando das Forças Armadas, eles realizam tarefas defensivas e de apoio contra a guerrilha comunista e os diversos movimentos armados muçulmanos.

O NEP, braço armado do Partido Comunista das Filipinas, dispõe de mais de 7.200 combatentes, que há décadas enfrentam o Governo.