Governador de Jacarta encerra conflito diplomático com Austrália

Agência EFE

JACARTA - O governador de Jacarta, Sutiyoso, aceitou o pedido de desculpas das autoridades australianas e encerrou assim o conflito diplomático que interrompeu precipitadamente sua visita oficial ao país esta semana, ligado à investigação sobre a morte de jornalistas no Timor-Leste em 1975.

Sutiyoso também pediu calma às dezenas de pessoas que se manifestam há dias em frente à Embaixada da Austrália. Ele recebeu um pedido de desculpas oficial através do embaixador australiano na Indonésia, Bill Farmer, informou nesta sexta-feira a agência estatal Antara.

O problema começou na terça-feira, quando Sutiyoso, ex-general do Exército indonésio, se encontrava em Sydney. Ele havia sido convidado pelo Governo de Nova Gales do Sul para renovar o status de cidades-irmãs com Jacarta.

Enquanto o governador indonésio descansava em seu hotel, dois agentes da Polícia de Sydney utilizaram uma cópia de sua chave para entrar em seu quarto e entregar uma intimação. Ele deveria testemunhar na investigação sobre a morte de cinco jornalistas australianos no Timor-Leste, em 1975.

Sutiyoso cancelou o resto de sua viagem, que incluía uma visita à capital, e retornou imediatamente à Indonésia. O Ministério de Relações Exteriores indonésio exigiu imediatamente uma explicação australiana.

O pedido de desculpas demorou a ser atendido, o que provocou protestos em frente à missão diplomática australiana.

Finalmente, Farmer se reuniu com Sutiyoso para entregar uma carta pedindo desculpas em nome de Morris Iemma, governador de Nova Gales do Sul.