Alemanha proíbe manifestações a cinco quilômetros da cúpula do G8

Agência EFE

HEILIGENDAMM - O Tribunal Superior Administrativo de Greifswald proibiu a realização de manifestações ou atos de protesto a menos de cinco quilômetros do perímetro de segurança e da cerca de mais de 11 quilômetros em torno do balneário de Heiligendamm, que na próxima semana receberá a cúpula dos sete países mais industrializados do mundo mais a Rússia (G8).

O tribunal não dá opção a recurso e estabelece numa sentença, anunciada ontem à noite, que os protestos deverão se limitar a uma área a no mínimo cinco quilômetros de distância da cerca de segurança.

A decisão anula uma sentença anterior do Tribunal Administrativo de Schwerin, que permitia aos ativistas antiglobalização se aproximar a até 200 metros da cerca de segurança de Heiligendamm para seus protestos.

O juiz de Greifswald considerou que a decisão não atenta contra o direito de assembléia e protesto.

Além dos chefes de Estado e Governo do G8, a cúpula terá a participação dos presidentes das cinco principais nações emergentes: Brasil, China, Índia, México e África do Sul.