Cinegrafista da AP é morto no Iraque, diz agência

Agência EFE

NOVA YORK - Um cinegrafista iraquiano que trabalhava para a Associated Press foi morto nesta quinta-feira em Bagdá, disse a agência de notícias norte-americana.

Saif M. Fakhry, 26 anos, levou dois tiros quando ia a pé para uma mesquita perto da sua casa, em seu dia de folga, disse a agência em nota, acrescentando ser o quinto funcionário da AP morto violentamente durante a guerra do Iraque.

- Nossa solidariedade de coração para a esposa e família de Saif e seus colegas no Iraque -, disse Tom Curley, presidente-executivo da AP.

- A morte de Saif nos lembra novamente dos riscos e dificuldades que acompanham o vital jornalismo da linha de frente e da gratidão que todos nós devemos aos que fazem isso -, completou ele.

Fakhry trabalhava para a AP Television News desde agosto de 2004. Deixa a esposa, que deve parir no mês que vem o primeiro filho do casal, segundo a agência.

Há dois dias o bairro onde o cinegrafista vivia tem atividade de homens armados, mas não está claro quem atirou nele, segundo a AP.

O Comitê para a Proteção de Jornalistas, dos EUA, disse que 104 profissionais morreram em serviço no Iraque desde o início da ocupação norte-americana, em março de 2003. Outros 39 profissionais de apoio à mídia também foram mortos, segundo a entidade.