Japão pode proibir todas as exportações para a Coréia do Norte

Agência EFE

TÓQUIO - O Governo do Japão estuda uma proibição total das exportações à Coréia do Norte como parte das sanções impostas ao país comunista por sua hesitação em iniciar o desmantelamento de seu programa nuclear, informa nesta quinta-feira a imprensa japonesa.

O veto total se somaria à proibição atual sobre os artigos de luxo e os produtos relacionados com armas de destruição em massa, segundo o jornal 'Yomiuri'.

As sanções em estudo incluem a rejeição à entrada no Japão dos navios estrangeiros que tenham atracado antes em portos norte-coreanos. Além disso, seriam proibidas todas as transferências bancárias.

O ministro de Relações Exteriores japonês, Taro Aso, levantou esta semana a possibilidade de adotar sanções. China e Coréia do Sul poderiam se opor à iniciativa. Nos Estados Unidos alguns funcionários manifestaram cautela, segundo a mesma fonte.

A Coréia do Norte se nega a iniciar o fechamento de suas instalações nucleares enquanto não receber os US$ 25 milhões que foram congelados pelos EUA no Banco Delta Asia (BDA), em Macau.