Maliki diz a Cheney que conseguirá a reconciliação do Iraque

Agência EFE

BAGDÁ - O primeiro-ministro do Iraque, Nouri al-Maliki, assegurou nesta quarta-feira ao vice-presidente dos Estados Unidos, Dick Cheney, de visita a Bagdá, que o Governo iraquiano está decidido a conseguir a reconciliação nacional do país.

- Estamos decididos a seguir adiante com o plano de reconciliação nacional e consagrar o princípio de governar com a participação de todos os componentes do povo iraquiano, com base no entendimento - ressaltou Maliki em entrevista coletiva junto a Cheney.

O chefe do Governo iraquiano explicou que a reunião com Cheney "abriu o caminho para dar passos práticos na reativação dos esforços em matéria de política e de segurança interna'.

Maliki disse que foram analisados vários assuntos de interesse comum, especialmente no que se refere à entrega das tarefas de segurança às forças iraquianas por parte das tropas da coalizão liderada pelos EUA.

Cheney, que assegurou que os EUA manterão o respaldo a Maliki, ressaltou que os dois abordaram 'o futuro dos esforços mantidos para contribuir para a construção de um Iraque seguro e livre das ameaças dos insurgentes e da organização Al Qaeda'.

Os dois reconheceram 'as dificuldades que obstaculizam o fim da violência no Iraque', por isso se comprometeram a 'prosseguir com os esforços para trabalhar para encontrar soluções para as crises'.

Cheney chegou nesta quarta-feira ao Iraque em uma visita surpresa, como parte de uma viagem pela região que o levará também ao Egito e à Arábia Saudita, entre outros países.

Logo após chegar a Bagdá, Cheney se reuniu com o comandante-em-chefe das forças americanas no Iraque, David Petraeus, para analisar a atual situação da violência no país.