"BBC" analisa vídeo de supostos seqüestradores de jornalista

Agência EFE

LONDRES - A rede britânica "BBC" informou nesta quarta que está analisando um vídeo supostamente enviado pelos seqüestradores de seu correspondente em Gaza, Alan Johnston, seqüestrado no dia 12 de março.

A rede de televisão em árabe "Al Jazira" recebeu a fita em Gaza.

A gravação parece ter sido feita pelo grupo que seqüestrou Johnston, e que se intitula Jaish al-Islam (Exército do Islã), segundo a "BBC".

No vídeo, os seqüestradores fazem uma série de exigências e mostram várias fotografias, entre elas uma da carteira de identidade do jornalista. A "BBC" disse hoje que está examinando o conteúdo, mas ainda não podia dar detalhes.

Se o vídeo for autêntico, será a primeira vez que os seqüestradores anunciam as suas exigências.

O Governo palestino afirma que está trabalhando para conseguir a libertação do correspondente. Johnston, de 44 anos, é o chefe da delegação da "BBC" em Gaza, onde trabalhou nos três últimos anos.

O jornalista viajava num veículo alugado pela "BBC" no centro de Gaza quando foi detido, em 12 de março, por quatro homens encapuzados. Ele foi obrigado a sair do seu carro e entrar em outro.

A Autoridade Nacional Palestina (ANP), as forças de segurança e o grupo islâmico Hamas condenaram a ação, pedindo a libertação de Johnston.

Nos últimos anos, dezenas de jornalistas e trabalhadores de organizações estrangeiras nos territórios palestinos foram seqüestrados por milicianos em Gaza e Cisjordânia.