Democratas defendem visto permanente para companheiros de homossexuais

Agência EFE

WASHINGTON - Dois líderes democratas do Congresso dos Estados Unidos apresentaram hoje um projeto de lei que, em nome da 'união familiar', permite que homossexuais peçam visto permanente para seus casais.

O senador Patrick Leahy, presidente da Comissão Judicial do Senado, e Jerrold Nadler, presidente da subcomissão Judicial da Câmara de Representantes, explicaram num comunicado conjunto que, até agora, só os casais heterossexuais têm esse direito.

- A promoção da unidade familiar foi, por muito tempo, parte da política federal de imigração, e este projeto de lei promove esse princípio ao dar a todos os americanos a oportunidade de estar com seus entes queridos - disse Leahy.

- Nossas leis de imigração tratam os gays e lésbicas com relações estáveis como cidadãos de segunda classe. Esta injustiça deve mudar - destaca Leahy.

O legislador acrescentou que equilibrar a balança e dar aos homossexuais o mesmo direito concedido aos heterossexuais é um passo "correto e sensível'. Além disso, pediu que o Congresso atue sobre esta legislação para 'demonstrar o compromisso da nação com a igualdade'.

Por sua vez, Nadler ressaltou que as famílias americanas são compostas por gente de 'todo tipo', e que as leis federais 'devem manter as famílias unidas, em vez de separá-las'.

- Simplesmente, pedimos que os gays e lésbicas dos Estados Unidos que mantêm relações estáveis recebam o mesmo trato que os outros - disse Nadler.

Ambos os legisladores reclamaram que nos Estados Unidos, onde os casais de mesmo sexo não são legalmente reconhecidos, 'muitos casais binacionais e do mesmo sexo terminam separados' quando um dos companheiros vive nos EUA e o outro no exterior.

Especificamente, o projeto de Leahy e Nadler acrescenta o termo "casal permanente' às leis de imigração que se aplicam a casais e a pedidos de benefícios migratórios.