Rice comete gafe e chama arsenal russo de 'soviético'

REUTERS

OSLO - Cometendo uma gafe, a secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, referiu-se na quinta-feira, quando conclamava a Rússia a abandonar uma suposta mentalidade da Guerra Fria, ao arsenal nuclear 'soviético' do país.

Rice tentava rebater a sugestão de que o escudo antimíssil para a Europa proposto pelos EUA poderia incentivar os russos a ampliar seus programas nucleares. Segundo a secretária, tal idéia era reflexo da 'ressaca' vivida atualmente depois do longo impasse entre os EUA e a União Soviética, durante a Guerra Fria.

O governo norte-americano desagradou à Rússia e deixou desconfortáveis alguns aliados europeus com seu plano de estacionar dez interceptadores de mísseis na Polônia e um radar na República Tcheca para ajudar a defender a Europa de um eventual ataque com míssil realizado por países como o Irã ou a Coréia do Norte.

- A idéia de que dez interceptores e alguns radares colocados no Leste Europeu vão alterar a atual postura estratégica dos soviéticos é totalmente ridícula, e todo mundo sabe disso, afirmou a secretária em Oslo, onde participa de um encontro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Segundo Rice, o governo dos EUA deseja discutir o assunto com os russos tendo por base uma avaliação 'realista' do cenário atual e não uma avaliação 'calcada nos anos 80'.

Profunda conhecedora da União Soviética, a secretária trabalhou no Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca entre 1989 e março de 1991, um período que inclui a queda do Muro de Berlim e os dias finais do regime soviético.