Interrogatórios duros 'salvaram vidas', diz ex-diretor da CIA]

REUTERS

NOVA YORK - Um ex-diretor da CIA disse a um programa de TV que os duros métodos de interrogatórios contra suspeitos de terrorismo se mostraram mais valiosos do que qualquer outro tipo de informação obtida pelas autoridades norte-americanas.

Falando o programa '60 Minutes', que a rede CBS exibe no domingo, George Tenet defendeu as técnicas de interrogatório da agência, que grupos de direitos humanos comparam à tortura.

- Sei que este programa salvou vidas. Sei que impedimos complôs - disse Tenet, segundo relato apresentado na quarta-feira pela rede.

- Sei que este programa sozinho vale mais do que o FBI, a Agência Central de Inteligência (CIA) e a Agência de Segurança Nacional conseguiram juntos nos dizer.

Tenet, que dirigiu a CIA entre 1997 e 2004, não falou sobre as técnicas usadas, mas afirmou que o 'interrogatório reforçado' não é tortura, e sim algo necessário 'porque essa gente jamais vai lhe contar (determinada) coisa.'

- É gente que sabe quem é o responsável pelo próximo ataque terrorista, não pestaneja em matar você, sua família, eu e minha família, e todo mundo nesta cidade - afirmou.