Minas Gerais criará centro de bioenergia com apoio do BID

Agência EFE

WASHINGTON - O Governo de Minas Gerais criará com o apoio do BID um centro de bioenergia para a pesquisa e o planejamento da produção de combustíveis alternativos na região do Aeroporto Tancredo Neves, segundo o governador Aécio Neves.

Neves fez nesta terça-feira ou anúncio depois de um encontro com o presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Luis Alberto Moreno, que concordou em dar apoio à instituição para a iniciativa.

O objetivo do centro é 'construir a estratégia do futuro' não setor energético, disse Neves.

- Queremos agregar a inteligência acadêmica, o setor privado e as instituições bilaterais no caso do BID e do estado - assinalou o governador, que informou que uma delegação de especialistas do Banco viajará para Minas 'nas próximas semanas' para estudar o lançamento do projeto.

O centro pesquisará novas tecnologias para a produção de etanol, novos insumos alternativos, como a biomassa, formará profissionais no setor, e planejará o desenvolvimento do negócio dos combustíveis alternativos, segundo o governador.

"O que existe agora no Brasil é uma corrida de empresários se associando para construir usinas sem qualquer tipo de planejamento a longo e médio prazo', explicou Neves.

O governador não quis estimar o custo do projeto, mas destacou que 'o financiamento para isso não é problema, porque o mundo quer participar'.

Minas Gerais é atualmente o terceiro maior produtor de etanol do Brasil, depois de São Paulo e Paraná, mas no próximo ano ocupará o segundo lugar, graças ao começo das operações de novas usinas, segundo Neves.

Em total, está prevista a construção de 40 novas usinas no estado nos próximos ônus, o que significará um investimento total de US$ 4 bilhões.

- Estamos fazendo um grande mapeamento no estado para impedir que Minas Gerais repita o que aconteceu em algumas regiões de São Paulo como a monocultura da cana de açúcar, inclusive inviabilizando outras atividades - afirmou Neves.