Estudantes prestam últimas homenagens em Virgínia Tech

REUTERS

BLACKSBURG (EUA) - Estudantes da Universidade Virgínia Tech preparavam-se no sábado para o funeral de várias das vítimas do atirador Seung-Hui Cho, que matou 32 pessoas.

Um pequeno tributo ao próprio atirador, que se matou na segunda-feira, foi colocado em um memorial de pedras no centro da universidade.

'Eu não odeio você', mostrava uma nota endereçada a Cho no meio de flores depositadas no local. 'Fico triste que você não tenha encontrado ajuda ou conforto.'

A nota, uma das três que expressavam tristeza e simpatia pelo atirador, foi assinada 'com todo o meu amor, Laura'.

Outro memorial foi decorado com objetos incluindo bandeiras de Canadá, Peru e Israel, para as vítimas que eram desses países.

A família de Cho fez um pedido de desculpas na sexta-feira. Ele tinha 23 anos e se mudou para a Virgínia com a família vindo da Coréia do Sul quando era criança.

- Estamos vivendo um pesadelo - disse a família em um comunicado.

Questões sobre como Cho conseguiu comprar duas armas ainda estão abertas.

Pela lei federal, ele deveria ter sido impedido de comprá-las, mas algumas diferenças da legislação da Virgínia permitiram que ele conseguisse as armas, afirmou um professor de direito.

Cho foi investigado após reclamações em 2005 e tratado por doença mental.

Pela lei estadual, a proibição de vendas de armas parece se aplicar a pessoas que foram levadas a um hospital, o que não ocorreu com Cho.

Como resultado, os detalhes de seu caso não foram capturados num sistema de informações do FBI usado pelos vendedores de armas.