Três acusados de ataques a Londres permanecerão presos até junho

Agência EFE

LONDRES - Três homens acusados de envolvimento com os atentados terroristas de Londres, em 7 de julho de 2005, deverão permanecer em prisão preventiva até 8 de junho, determinou nesta sexta-feira um tribunal da capital.

Mohammed Shakil, de 30 anos; Sadeer Saleem, de 26; e Waheed Ali, de 23, detidos em março no norte da Inglaterra, se apresentaram hoje ao tribunal de Old Bailey por videoconferência da prisão onde permanecem presos, informaram fontes judiciais.

Os magistrados marcaram uma nova audiência para 8 de junho, quando os três deverão comparecer ao mesmo tribunal.

Shakil, Saleem e Ali são acusados de conspirar, entre 1º de novembro de 2004 e 29 de junho de 2005, com os quatro autores dos ataques, que causaram 56 mortes - incluindo as dos quatro terroristas suicidas - e deixaram 700 feridos.

Segundo a Promotoria, os três homens, os primeiros suspeitos a enfrentarem acusações pelos ataques de julho de 2005, participaram de trabalhos de 'reconhecimento e planejamento para conspirar com os responsáveis finais pelos ataques de 7 de julho'.

Os acusados são de Leeds, a cidade do norte da Inglaterra onde viviam três dos autores do massacre.

Shakil e Ali foram detidos em 22 de março no aeroporto de Manchester (norte da Inglaterra) quando tentavam embarcar em um avião com destino ao Paquistão, enquanto Saleem foi detido em uma residência de Leeds.

Na manhã de 7 de julho de 2005, quatro terroristas suicidas atacaram três trens do metrô de Londres e um ônibus em Tavistock Square, perto do Museu Britânico.