Presidente da Nigéria pede eleições limpas

Agência EFE

LAGOS - O presidente da Nigéria, Olusegun Obasanjo, num apelo ao povo nigeriano e às autoridades eleitorais, pediu que todos façam 'tudo que for possível' para garantir a lisura das eleições de amanhã.

Obasanjo está no poder desde 1999. Ele esgotou todas as instâncias legais para tentar disputar um terceiro mandato, proibido pela Constituição. Mas em breve entregará a Presidência ao candidato que for eleito.

No apelo, divulgado nesta sexta-feira por emissoras de rádio e televisão, o governante pede que a votação de amanhã 'corrija os erros' das eleições regionais de sábado.

Observadores internacionais e locais expressaram suas preocupação com as irregularidades registradas. A oposição disse que houve uma maciça manipulação dos votos.

O presidente pediu aos observadores que entendam as limitações da Nigéria 'e não exagerem o lado negativo'. Também convocou os partidos políticos para evitarem a violência durante a votação e o processo posterior.

Com as eleições deste sábado, pela primeira vez a Nigéria, que se emancipou do Reino Unido em 1960, verá um presidente eleito democraticamente entregar o poder a outro também saído das urnas.

A imprensa nigeriana informou a descoberta, ontem, de um caminhão carregado com cédulas já com a impressão digital de supostos eleitores. O veículo foi interceptado por soldados na cidade de Kaduna.

- Vamos investigar o caso, disse à agência Efe o porta-voz do Exército, coronel Ayo Olaniya.

Segundo o partido de oposição Congresso para a Ação (AC), atentativa de fraude beneficiava o governante Partido Democrático dos Povos (PDP).

- Esta é apenas a ponta de um iceberg na desesperada tentativa da Presidência e do PDP, confabulados com a Comissão Eleitoral e a Polícia, para manipular as eleições, acusou o porta-voz do AC, Lai Mohammed.

Um porta-voz da Comissão Eleitoral disse desconhecer o caso.