México: Vaticano critica descriminalização do aborto

Agência ANSA

CIDADE DO MÉXICO - A secretaria de Estado do Vaticano enviou uma carta para respaldar a posição da hierarquia católica mexicana contra um projeto de lei que descriminaliza o aborto na Cidade do México, aprovado ontem a noite em comissões e que deve ser aprovado em breve pela Assembléia Legislativa da capital do país.

O presidente da Conferência do Episcopado Mexicano (CEM), Carlos Aguiar, disse que a carta foi assinada pelo secretário de Estado Vaticano, Tarcisio Bertone.

Na carta, o papa Bento XVI "se une à Igreja no México, assim como tantas pessoas de boa vontade preocupadas pela intenção de aprovar um projeto de lei no Distrito Federal que ameaçava a vida das crianças que iriam nascer", disse o líder dos bispos mexicanos.

A Assembléia Legislativa do Distrito Federal sancionou ontem a noite em comissões a reforma legal que descriminaliza o aborto voluntário antes da 12ª semana de gestação, que será debatida em plenário na próxima terça.

"Nesse tempo em que, com a ressurreição de Cristo celebramos o triunfo da vida sobre a morte, este grande dom nos impulsiona a proteger e defender com firme decisão o direito à vida de todo ser humano", indica o documento enviado por Bertone aos bispos mexicanos.

A Igreja Católica mexicana elevou seu tom de voz para condenar a proposta apresentada pela maioria esquerdista no parlamento da capital.

Na carta, o Papa encomenda a intervenção da Virgem de Guadalupe, a mais venerada do país, "em todos os filhos dessa querida nação, ao mesmo tempo que lhes dê especial afeto na implorada da benção católica".