Congresso de partido centrista começa com a presença de Prodi

Agência EFE

ROMA - O congresso do partido centrista Margarida, segundo em importância dos 16 que formam a aliança de Governo da Itália, começou nesta sexta-feira com a presença do primeiro-ministro Romano Prodi.

O congresso do Margarida coincide assim com o do partido Democratas de Esquerda, primeira formação do Governo, em um momento em que ambos buscam uma fusão para a criação de uma única legenda, que terá o nome de Partido Democrata.

- O Partido Democrata será o partido da modernização da Itália, porque o reformismo é realizar mudanças antes de anunciar a revolução e certificar a conservação, disse Francesco Rutelli, líder do Margarida em seu discurso.

O objetivo de Rutelli é fundar um grupo político à imagem e semelhança do Partido Democrata americano, questão que coloca problemas aos Democratas de Esquerda, já que vários de seus dirigentes querem filiar a nova formação ao Partido Socialista Europeu.

Além das diferenças ideológicas há as relativas à liderança, já que ainda não se sabe quem será seu máximo dirigente.

A inauguração do congresso do Margarida, realizado em Roma, ocorreu a cargo de Rutelli e do primeiro-ministro, apesar de Prodi não militar em formação alguma.

- Hoje é um dia importante, sinal de um passo adiante em um processo longo, longuíssimo: um projeto para levar à Itália do novo século, disse Prodi.

Também estão presentes como convidados no congresso o chefe da oposição, Silvio Berlusconi, líder do Forza Italia, e seus aliados, Pier Ferdinando Casini, presidente dos democrata-cristãos, e Gianfranco Fini, que lidera a direitista Aliança Nacional.