Royal acusa Sarkozy de polemizar para atrair a extrema-direita

Agência EFE

PARIS - A candidata socialista à Presidência da França, Ségolène Royal, acusou nesta quinta-feira o rival conservador e favorito nas pesquisas, Nicolas Sarkozy, de tentar 'de forma escandalosa' atrair os eleitores do ultradireitista Jean-Marie Le Pen.

Royal, que nesta quinta-feira estará acompanhada pelo presidente do Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, em um comício em Toulouse (sul da França), questionou por que 'se tolera' que o candidato da conservadora e governante União por um Movimento Popular (UMP) 'fale de forma tão escandalosa'.

A três dias do primeiro turno das eleições presidenciais, Royal, que de acordo com três pesquisas publicadas hoje enfrentará Sarkozy no segundo turno, disse que o candidato conservador representa 'um risco de ruptura republicana'.

Em entrevista à 'Rádio RTL', Royal afirmou que, se ela tivesse feito todas as declarações que Sarkozy fez durante a campanha, incluindo a teoria sobre a origem genética da pedofilia e do suicídio juvenil, 'não poderia sequer ser candidata às eleições presidenciais'.

Esse tipo de discurso de Sarkozy é 'uma piscada aos eleitores da Frente Nacional (de Le Pen), não importando a que preço'.

As três pesquisas publicadas hoje situam Sarkozy como favorito nas intenções de voto do primeiro turno das eleições, que contam com doze candidatos.

Para os institutos, Sarkozy somaria no próximo domingo um total de 29% dos votos (BVA), 28,5% (TNS-Sofres) ou 28% (Ipsos). Isso representa uma alta de um ponto e uma perda de 1,5 ponto e 0,5 ponto, respectivamente, em relação aos resultados anteriores feitos pelos mesmos institutos de pesquisa.

Royal vem em segundo, com 25% (BVA e TNS-Sofres) e 22,5% (Ipsos); enquanto Bayrou mantém o status de 'terceiro homem', com 19% das intenções de voto no TNS-Sofres e Ipsos e 15% no BVA.

A candidata socialista sobe um ponto no BVA e perde 1,5 pontos na Ipsos e um ponto na Sofres, em relação a resultados anteriores; enquanto Bayrou caiu três pontos no BVA e ganhou um ponto no Ipsos e dois no Sofres.

Le Pen perdeu um ponto nas intenções de voto no BVA (13%) e meio ponto no Ipsos (12,5%), mas subiu dois no Sofres (14%).

Os três institutos prevêem a vitória de Sarkozy em um eventual segundo turno contra Royal.

O BVA e o Ipsos dão 53% de intenções de voto para Sarkozy e 47% para Royal em um segundo turno, em 6 de maio.

O instituto TNS-Sofres calcula em 51% os votos para o candidato conservador e 49%, para a socialista.

A percentagem de eleitores que dizem que poderiam mudar o voto no próximo domingo continua elevado, e passou de 32% para 36%, segundo o Sofres.