Irã diz aos EUA não saber paradeiro de ex-agente do FBI

REUTERS

WASHINGTON - O Irã disse aos Estados Unidos que não faz idéia do paradeiro de um ex-agente do FBI que desapareceu no país no mês passado, disse na quinta-feira o Departamento de Estado norte-americano. Sean McCormack, porta-voz do departamento, afirmou que o Irã mandou um recado por intermédio da Suíça na quarta-feira respondendo às perguntas norte-americanas sobre Robert Levinson, que não é visto desde que foi, a negócios, à ilha de Kish, no Irã, no início de março.

- Vamos continuar trabalhando em nome de uma família americana para descobrir onde ele está - disse McCormack.

Irã e EUA não mantêm relações diplomáticas, por isso a Suíça atua como intermediária. O desaparecimento de Levinson é um caso cheio de versões contraditórias. As autoridades norte-americanas dizem não ter dados suficientes para dizer o que pode ter acontecido com ele ou se ele pode estar sob custódia do Irã. Antes de ir a Kish, Levinson havia ido ao consulado dos EUA em Dubai, mas não foram divulgados detalhes sobre o que ele foi fazer lá. O Departamento de Estado insiste que Levinson foi ao Irã devido a negócios particulares e que não estava trabalhando para o governo norte-americano.