Resultado oficial confirma segundo turno no Timor-Leste

Agência JB

DÍLI (TIMOR LESTE) - As eleições para a escolha do presidente do Timor-Leste foram para segundo turno, já que nenhum dos oito candidatos conseguiu obter mais da metade dos votos válidos, de acordo com o resultado oficial definitivo anunciado nesta quarta feira pela Comissão Eleitoral Nacional (CEN).

O presidente da CEN, Faustino Cardoso Gomes, disse em entrevista coletiva concedida em Díli que "o resultado final ou definitivo das eleições presidenciais será anunciado oficialmente pelo presidente da Corte de Apelações amanhã".

Gomes afirmou que, por isso, não poderia dizer quais foram os dois candidatos que passaram para o segunda turno, que será realizado no dia 8 de maio.

No entanto, o presidente da CEN adiantou que "''Lu-Olo'' (apelido de Francisco Guterres, candidato da Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente - Fretilin -, o principal partido do país em número de deputados) obteve 112.676 votos, ou 27,89% ".

Depois de Guterres vem o atual primeiro-ministro interino e prêmio Nobel da Paz em 1996, José Ramos-Horta, que se apresentou como independente, com "88.102 votos, ou 21,81%".

Fernando "Lasama" de Araujo, do Partido Democrático, obteve 77.459 votos (19,18%); Francisco Xavier do Amaral, da Associação Social Democrática Timorense, 56.125 (14,39%); Lúcia Lobato, do Partido Social Democrático, 35.789 (8,8%); Manuel Tilman, presidente da formação Filhos dos Guerreiros das Montanhas, 16.534 (4,09%); Avelino Coelho da Silva, do Partido Socialista Timorense, 8.338 (2,06%); e João Carrascalao, da União Democrática Timorense, 6.928 (1,72%).

O nível de participação eleitoral foi de 81,77%, ou seja, 427.612 das 522.933 pessoas com direito a voto compareceram às urnas.

O Timor-Leste se tornou um Estado independente em 20 de maio de 2002, após 24 anos de ocupação da Indonésia (1975-1999) e de um longo período em que o país foi colônia de Portugal.