Explosões matam pelo menos 100 pessoas no Iraque

REUTERS

AMARA - Horas depois do primeiro-ministro do Iraque Nuri Al Maliki ter anunciado que pretende substituir todas as tropas estrangeiras no controle da segurança do país até o final do ano, duas explosões de carros-bomba mataram pelo menos 100 pessoas no país.

Uma das explosões ocorreu em Sadriya, bairro de maioria xiita em Bagdá, onde um carro-bomba deixou 75 mortos e 100 pessoas feridas, informou a polícia iraquiana.

Mais cedo, a explosão de outro carro-bomba no reduto xiita de Sadr City matou outras 30 pessoas.

O primeiro-ministro iraquiano admitiu que não será fácil acabar com a violência sectária que continua atingindo a capital --dois carros-bomba mataram 20 pessoas e feriram 30 em áreas predominantemente xiitas.

Na segunda-feira, o clérigo antiamericano Moqtada Al Sadr retirou seus seis ministros do governo para pressionar por um cronograma para a desocupação.

Em discurso lido nesta quarta-feira por um assessor durante uma cerimônia para a transferência da segurança na província de Maysan (sul), até então sob controle britânico, Maliki disse que três províncias no autônomo Curdistão iraquiano (norte) seriam as próximas, e que depois viriam as províncias de Kerbala e Wasit.

- Então será província a província, até que obtenhamos (o controle total da segurança) até o final do ano, disse Maliki no discurso lido por seu assessor de Segurança Nacional, Mowaffaq Al Rubaie.

Maysan é a quarta das 18 províncias iraquianas a serem entregues às forças iraquianas, depois de Muthana, Najaf e Dhi Qar, todas regiões predominantemente xiitas e relativamente calmas no sul do país.

Mas Maliki disse que as forças iraquianas só vão assumir as tarefas de segurança quando estiverem prontas, e por isso pediu paciência.

- Algumas pessoas exigiram um cronograma para encerrar a presença estrangeira no Iraque, disse o discurso de Maliki.

- Digo a elas que essa é a exigência de todo patriota, (e) estamos trabalhando para criar as circunstâncias objetivas para essa retirada.

Maysan é uma área xiita com enormes campos petrolíferos, em geral poupada da violência sectária que toma contra de outras partes do país. É a terceira província entregue pelos britânicos, que agora controlam apenas a de Basra, por onde passa todo o petróleo exportado pelo Iraque.

Estabilizar Basra vem se mostrando uma tarefa mais dura para os britânicos, já que grupos rivais disputam o controle das vastas riquezas petrolíferas, às vezes com violência.

Em outra notícia importante para o Iraque, o ministro do Petróleo, Hussain Al Shahristani, disse que a aguardada lei do setor será apresentada na próxima semana ao Parlamento e deve ser aprovada até o final de maio.

Mas uma autoridade energética do Curdistão disse que essa região semi-autônoma não vai aceitar os anexos que retiram dos governos regionais o controle sobre os campos petrolíferos, transferindo-os para uma nova estatal do setor.