Erupção de vulcão na Colômbia obriga a evacuação de 4 mil pessoas

Agência EFE

BOGOTÁ - Cerca de 4 mil pessoas foram evacuadas, de urgência, após duas erupções do vulcão Nevado del Huila, no sul da Colômbia, que provocaram avalanchas do rio Páez e aumento de nível em outros como o Magdalena, informaram as autoridades.

As erupções e os deslizamentos, no entanto, não causaram vítimas mortais nem feridos, assinalaram fontes dos organismos de socorro da região.

As localidades mais afetadas foram Belalcázar e Inzá, no departamento de Cauca, e Tesalia, no departamento de Huila.

Em Belalcázar, o diretor local da Cruz Vermelha, Jorge Quintero, assinalou que todos os habitantes, cerca de 3 mil, foram transferidos.

Em La Plata, a secretária de Governo, Silvia Consuelo Cedeño, informou que foi testemunha da avalancha que passa pelo rio Páez e que margeia este município do departamento de Huila.

Comissões do Escritório Nacional de Atendimento a Emergências foram enviadas à área das erupções e das avalanchas.

A primeira erupção aconteceu na noite de terça-feira e uma série de sismos antecedeu a segunda, cerca de quatro horas mais tarde, por isso os grupos de emergência de vários municípios alertaram os habitantes, principalmente das áreas ribeirinhas.

O vulcão Nevado del Huila é o mais alto da Cordilheira dos Andes na Colômbia e fica 5.364 metros acima do nível de mar.

Há cerca de 500 anos não eram registrados comportamentos anômalos no vulcão, que só 'despertou' em fevereiro, quando foram registradas algumas erupções menores.

A maior tragédia natural da Colômbia ocorreu em 13 de novembro de 1985, quando o vulcão Nevado del Ruiz, no centro do país, entrou em erupção e causou algumas avalanchas que soterraram a localidade de Armero, com 23 mil de seus 25 mil habitantes, e a outras aldeias vizinhas dos departamentos de Caldas e Tolima.