Abbas chega a acordo com grupos palestinos, diz assistente

REUTERS

VARSÓVIA - O presidente palestino, Mahmoud Abbas, chegou a um acordo com grupos militantes para que sejam interrompidos ataques com foguetes contra Israel, disse um de seus assistentes na quarta-feira.

Acordos similares fechados pela liderança palestina no passado refrearam os ataque com foguetes, mas não acabaram totalmente com eles.

- O presidente Abbas está fazendo tudo o que pode para interromper os ataques - disse Nabil Amr, que acompanha Abbas em uma visita à Polônia como parte de uma ofensiva diplomática para convencer a União Européia a acabar com o congelamento da ajuda financeira para o governo palestino.

- Ele chegou a um acordo real com todas as forças que ocasionalmente disparam foguetes - disse Amr à Reuters em uma entrevista.

Pressionados pelos Estados Unidos, Abbas e o primeiro-ministro israelenses, Ehud Olmert, concordaram no domingo em esboçar listas de medidas para reviver o processo de paz no Oriente Médio.

Os palestinos esperam que isto irá convencer os Estados Unidos e a Europa a descongelar a ajuda econômica, sem a qual o governo palestino fica virtualmente paralisado. As restrições foram impostas quando o Hamas ganhou as eleições após derrotar a Fatah. Alguns militantes por trás dos disparos dos foguetes vêm de facções que se opõem a plataforma política da Fatah. O Hamas e a Fatah agora comandam juntos um governo de unidade.

Amr disse que o Hamas está gradualmente chegando próximo de atender às exigências da comunidade internacional para reconhecer o Estado de Israel e espera que isto convença o Ocidente de que os palestinos estão realmente buscando a paz duradoura.

- Nós esperamos que estes países entenderão que isto é consequência do governo de unidade - disse.

Perguntado se os esforços de Abbas para convencer os europeus está dando resultado, Amr disse:

- O progresso ainda não é grande. (Mas) mais e mais países europeus --Espanha, França e Noruega-- estão normalizando as relações com este governo.