Abe visitará soldados japoneses no Kuwait, após reunião com Bush

Agência EFE

TÓQUIO - O primeiro-ministro Shinzo Abe visitará o destacamento japonês de apoio à Guerra do Iraque, posicionado no Kuwait, após sua reunião este mês com o presidente americano, George W. Bush, em Washington, informaram nesta terça-feira fontes oficiais.

Abe visitará a base de Ali al-Salem, no Kuwait, onde cerca de 200 soldados das Forças Aéreas japonesas continuam suas missões de apoio logístico iniciadas no Governo de seu antecessor, Junichiro Koizumi, um ferrenho defensor da política militar americana no país árabe.

A visita será a primeira de um primeiro-ministro japonês a destacamentos militares na região, e se soma à criação do primeiro Ministério da Defesa do Japão desde a derrota na Segunda Guerra, em janeiro deste ano.

O primeiro-ministro centrou sua política na reforma da Constituição pacifista, redigida pelas Forças de ocupação aliadas, e que proíbe a participação do Japão em programas de defesa coletiva e conflitos internacionais.

O Japão participa das forças multinacionais do Iraque com soldados não combatentes, e seu envio foi possível graças a uma interpretação da Constituição propícia, devido aos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos.

Em 26 de abril, Abe e sua esposa Akie chegarão a Washington, onde serão recebidos com um banquete em sua homenagem, anterior à reunião cúpula entre os dois chefes de Governo, que ocorrerá no dia seguinte, em Camp David.

A agenda da reunião com Bush inclui o fortalecimento dos laços bilaterais, a cooperação na crise nuclear causada pela Coréia do Norte e a reconstrução do Iraque.

Esta será a primeira viagem de Abe a Washington desde que assumiu o Poder, há quase sete meses, algo incomum para um primeiro-ministro japonês, que habitualmente inicia sua agenda internacional pelos Estados Unidos.

Dos Estados Unidos, Abe viajará à Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos e Dubai.