Papa ganha urso de pelúcia em seu 80o aniversário

REUTERS

CIDADE DO VATICANO - O papa Bento 16 recebeu um presente bastante previsível em seu 80o aniversário, na segunda-feira - um concerto de música clássica-, e outro mais inesperado - um enorme urso de pelúcia.

O secretário do papa, monsenhor Georg Ganswein, disse à Rádio Vaticano que o urso, que ele qualificou de "belo espécime", foi enviado por um italiano não-identificado.

O papa passou o presente para o hospital infantil Bambino Gesú (Menino Jesus), de Roma, e recebeu uma carta de agradecimento dos jovens pacientes.

O papa alemão, um talentoso pianista que nesta semana completa dois anos de pontificado, assistiu na noite de segunda-feira (horário local) a um concerto de uma orquestra de Stuttgart, com obras de Mozart, Dvorak e de Giovanni Gabrieli (compositor italiano do século 16).

Em um rápido pronunciamento após o concerto no Vaticano, Bento 16 disse que a música é "a linguagem universal da beleza", sua "companheira de viagem" pela vida desde a infância.

Na platéia estavam a atriz Sophia Loren com sua irmã Maria Scicolone, que foi casada com um dos filhos do falecido ditador Benito Mussolini.

Em Marktl am Inn, na Alemanha, centenas de pessoas fizeram orações ainda de madrugada na pequena casa bávara onde Joseph Ratzinger nasceu, às 4h15 de 16 de abril de 1927.

Mais tarde, elas desfilaram pela cidadezinha, que fica a leste de Munique, para participarem de uma missa solene na igreja de São Osvaldo, onde o papa foi batizado. Várias crianças mandaram cumprimentos em balões lançados após a missa.

A casa onde o papa nasceu, construída em 1701, foi transformada em museu para receber os muitos visitantes. As autoridades locais querem rebatizar a pracinha local como "Papst-Benedikt-Platz." Ele viveu em Marktl am Inn apenas até os dois anos.

Em Moscou, o presidente Vladimir Putin reforçou a aproximação do Kremlin com o Vaticano, enviando uma mensagem excepcionalmente calorosa a Bento 16.

Putin, primeiro líder russo a professar abertamente sua fé desde a Revolução Bolchevique de 1917, defende o fim do cisma entre a Igreja Católica e o rito ortodoxo russo que ele segue. Há especulações de que em breve haverá uma reunião do papa com o patriarca ortodoxo russo, Alexiy 2.

Putin se encontrou com o papa no mês passado pela primeira vez desde o início do pontificado, e na segunda-feira enviou uma carta de parabéns e um ícone intitulado "Mil Anos de Batismo da Rússia", segundo o Kremlin.