Pequim 'obstrui' do mundo a origem da covid-19, diz indicado para embaixador dos EUA na China

Novo indicado dos EUA para embaixador na China, Nicholas Burns afirma ainda que o "genocídio" em Xinjiang e os "abusos" no Tibete devem cessar

Foto: AFP 2021 / Saul Loeb
Credit...Foto: AFP 2021 / Saul Loeb

O indicado pelo presidente norte-americano, Joe Biden, para ser o novo embaixador dos EUA na China, Nicholas Burns, afirmou nesta quarta-feira (20) que a China vem "bloqueando" o mundo sobre as origens do novo coronavírus desde janeiro de 2020.

A declaração foi dada durante a audiência de confirmação no Senado norte-americano para se tornar o próximo embaixador dos EUA na China. Burns acrescentou que Washington precisa pressionar Pequim "para confessar o que aconteceu".

Burns enfatizou que não apoia a teoria de que o Sars-Cov-2 foi resultado de um acaso natural, nem a teoria de que poderia ter surgido como resultado de um vazamento de laboratório.

O diplomata também disse que o "genocídio" na região autônoma de Xinjiang, na China, os "abusos" no Tibete e a "intimidação" contra Taiwan devem parar, reporta a agência Reuters.

Sobre Taiwan, Burns afirmou ainda que Washington está correto em aderir à sua política de "Uma Só China" para Taiwan, mas também em se opor às ações de Pequim que minam o status quo e que os EUA têm "enorme latitude" para aprofundar a assistência à segurança de Taiwan.

Burns é diplomata de carreira e foi embaixador dos EUA na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). (com agência Sputnik Brasil)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais