Negociações com Irã sobre acordo nuclear avançam em Viena, dizem diplomatas

.

Foto: Site oficial do presidente
Credit...Foto: Site oficial do presidente

Diplomatas de alto escalão de cinco grandes potencias mundiais (China, Alemanha, França, Rússia e Grã-Bretanha) reunidos nesse domingo com representantes do governo do Irã disseram ter obtido progressos nas negociações para tentar restaurar um acordo nuclear histórico de 2015, abandonado pelo governo dos Estados Unidos, na administração do ex-presidente Donald Trump. Eles disseram que agora cabe aos governos envolvidos nas negociações tomar decisões políticas.

Foi a primeira reunião oficial desde que Ebrahim Raisi, chefe do judiciário do Irã, obteve uma vitória esmagadora nas eleições presidenciais do país. Alguns diplomatas expressaram preocupação de que a eleição de Raisi como presidente,o que poderia complicar um possível retorno do país ao acordo nuclear.

Enrique Mora, funcionário da União Europeia (UE) que presidiu a reunião final da sexta rodada de negociações do grupo com o país, disse que estão mais perto de um acordo, mas ainda "não estamos lá". "Progredimos em uma série de questões técnicas", acrescentou. "Agora temos mais clareza sobre os documentos técnicos - todos eles bastante complexos - e essa clareza nos permite também ter uma boa ideia de quais são os problemas políticos". Mora não revelou mais detalhes.

O representante russo, Mikhail Ulyanov, disse que os membros do Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA), na sigla em inglês), "avaliaram o progresso significativo feito nas negociações de Viena, incluindo a sexta rodada, e decidiram fazer uma pausa para permitir que os participantes consultassem suas capitais em uma preparação para o que deve ser a rodada final de negociações".

"Existem alguns pontos polêmicos que exigem decisões políticas. Aparentemente, os esforços diplomáticos para encontrar uma linguagem comum foram quase totalmente esgotados. Então chegou a hora de decisões políticas", acrescentou Ulyanov.

As nações envolvidas nas negociações têm tentado resolver as principais questões pendentes sobre como trazer os EUA de volta ao acordo histórico, após o então presidente Donald Trump ter retirado Washington unilateralmente do pacto em 2018. Trump também restaurou e aumentou as sanções para tentar forçar o Irã a renegociar o pacto com mais concessões. (com Agência Estado e AP)