Bennett, de Israel, alerta contra negociações nucleares com o 'regime dos carrascos' do Irã

.

Emmanuel Dunand / Reuters
Credit...Emmanuel Dunand / Reuters

Israel condenou neste domingo a eleição do juiz linha-dura Ebrahim Raisi como presidente do Irã, dizendo que seria um “regime de carrascos brutais” com o qual as potências mundiais não deveriam negociar um novo acordo nuclear.

Raisi, que está sob sanções dos EUA por abusos dos direitos humanos, garantiu a vitória esperada nesse sábado na eleição presidencial do Irã, após uma disputa marcada pela apatia dos eleitores por dificuldades econômicas e restrições políticas.

O primeiro-ministro israelense, Naftali Bennett, convocando sua primeira sessão de gabinete televisionada desde que assumiu o cargo na semana passada, descreveu a ascensão de Raisi como possibilitada pelo líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, e não por um voto livre e popular.

"A eleição de Raisi é, eu diria, a última chance para as potências mundiais acordarem antes de retornar ao acordo nuclear e entender com quem estão fazendo negócios", disse Bennett em um comunicado que leu primeiro em hebraico e depois em inglês .

"Um regime de carrascos brutais nunca deve ter armas de destruição em massa", disse ele. "A posição de Israel não mudará sobre isso."

Raisi nunca abordou publicamente as acusações sobre seu papel no que Washington e grupos de direitos humanos chamaram de execuções extrajudiciais de milhares de presos políticos em 1988.

Bennett, um nacionalista no topo de uma coalizão partidária cruzada, abalou a oposição de seu antecessor conservador, Benjamin Netanyahu, ao acordo nuclear iraniano de 2015, cujos limites em projetos com potencial de fabricação de bombas Israel considerou muito frouxo.

O ex-governo americano de Donald Trump concordou com Israel e desistiu do negócio. O atual presidente Joe Biden quer um retorno dos EUA ao negócio. O Irã nega buscar armamento nuclear. (com agência Reuters)