Xi Jinping dá os parabéns pela vitória ao democrata Joe Biden

'Esperamos que os dois lados mantenham o espírito de não-conflito e não-confronto'

Reprodução
Credit...Reprodução

O presidente chinês, Xi Jinping, deu nessa quarta (25) os parabéns pela vitória ao presidente eleito dos EUA, Joe Biden, expressando esperança num espírito de cooperação entre os dois países.

A China foi uma das últimas potências a dar os parabéns a Biden, que venceu este mês o republicano Donald Trump nas eleições presidenciais norte-americanas.

Os analistas dizem que Pequim pode ter querido evitar tensões nas relações com o presidente Trump, que ainda não reconheceu publicamente a derrota, alegando a existência de “fraude eleitoral” e pedindo a recontagem de votos.

Na mensagem de parabéns, Xi disse a Joe Biden que relações “saudáveis e estáveis” são a “expectativa comum da comunidade internacional”, de acordo com um comunicado divulgado.

“Esperamos que os dois lados mantenham o espírito de não-conflito e não-confronto, respeito mútuo e cooperação em que todos ganham, focando-se na cooperação, controlando as diferenças e promovendo o desenvolvimento saudável e estável das relações entre a China e os EUA”, diz o comunicado.

As relações entre China e EUA deterioram-se rapidamente desde que Donald Trump assumiu a presidência.

Os dois países enfrentam uma guerra comercial e tecnológica e disputas em torno da soberania do mar do Sul da China, a questão de Taiwan ou o estatuto de Hong Kong, além, é claro, do projeto 5G.

Trump classificou a China como uma ameaça à segurança dos EUA e impôs restrições sob as exportações de tecnologia para o país asiático.

Nos últimos meses, a insistência de Trump em apelidar a covid-19 de "vírus chinês" contribuiu para o antagonismo.

Analistas políticos esperam, no entanto, poucas mudanças na relação bilateral, devido à frustração generalizada nos EUA em questões comerciais e de direitos humanos e a acusações de espionagem e usurpação de tecnologia pela China.

A posse de Biden como 46.º presidente dos Estados Unidos está marcada para 20 de janeiro de 2021.