UE pode 'perder sua razão de ser' se não gerenciar bem crise do coronavírus, diz premiê italiano

Macaque in the trees
Giuseppe Conte, primeiro ministro italiano (Foto: AP Photo / Alberto Pellaschiar)

As afirmações do premiê italiano Giuseppe Conte surgem depois que o bloco comunitário não conseguiu chegar a acordo relativamente ao plano de ação contra a pandemia, confirmando a divisão da UE.

No sábado (28), Giuseppe Conte pediu à União Europeia que não cometa "erros trágicos" em seu gerenciamento da crise do coronavírus advertindo que, se o fizer "todo o projeto da União Europeia perderá sua razão de ser", conforme disse em uma entrevista ao jornal Il Sole 24 Ore.

O chefe do Governo italiano declarou ainda que a pandemia de COVID-19 pode "destruir" a economia europeia. "Estamos atravessando uma crise que provocou um grande número de vítimas entre os nossos concidadãos e está causando uma recessão econômica", disse Giuseppe Conte, afirmando que "não fazer nada deixaria aos nossos filhos o fardo de uma economia destruída".

"Na Itália, como também em outros Estados-membros, não temos outra alternativa senão tomar decisões trágicas", lamentou. "Temos de evitar tomar decisões tão trágicas na Europa". "Se a Europa não se mostrar à altura desta tarefa, todo o projeto europeu corre o risco de perder a sua razão de ser aos olhos de nossos próprios cidadãos", garantiu o premiê italiano.

Anteriormente, nove dos 19 países da zona euro, incluindo a Itália e a França, propuseram à União Europeia a emitir "corona bonds", um instrumento de dívida comum para financiar as consequências da luta contra a COVID-19. Porém, a Alemanha, apoiada pela Áustria e pelos Países Baixos, se manifestou contra esta medida, defendendo a utilização do Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE), o fundo de resgate da zona euro.(Sputnik Brasil)