Casos de coronavírus na Itália se aproximam de 1,7 mil

Subiu para 1.694 o número de casos do novo coronavírus (Sars-CoV-2) na Itália, de acordo com balanço divulgado neste domingo (1º) pelo chefe da Defesa Civil do país, Angelo Borrelli.

Já a quantidade de mortes cresceu de 29 para 34 em um dia, embora ainda não tenha sido comprovado que os falecimentos foram provocados diretamente pela Covid-2019, doença causada pelo Sars-CoV-2. A maior parte das vítimas tinha idade avançada e sofria de outros problemas de saúde.

Macaque in the trees
Turistas com máscaras de proteção em frente ao Coliseu de Roma (Foto: Ansa/Ettore Ferrari)

A região mais atingida é a Lombardia, no norte da Itália, com 984 casos e 24 mortes. Do total de 1.577 contágios ativos, 798 (50%) estão assintomáticos ou apresentam sintomas "muito leves", segundo Borrelli. Esses indivíduos estão em isolamento domiciliar.

639 pacientes (41%) estão internados em hospitais, e 140 (9%) foram colocados em terapia intensiva. O número de pessoas curadas da Covid-2019 subiu de 50 para 83.

Dos casos anunciados pela Defesa Civil, 534 já foram certificados pelas contraprovas feitas pelo Instituto Superior da Saúde (ISS), órgão do governo sediado em Roma. Isso representa 98% dos 544 exames realizados pelo ISS.

A Itália é o terceiro país com mais casos do Sars-CoV-2, atrás apenas da China (79,8 mil), onde a epidemia teve início, e da Coreia do Sul (3,5 mil).

Os primeiros contágios dentro da Itália foram detectados pouco antes do Carnaval, mas o ISS disse neste domingo que, provavelmente, o coronavírus já circulava no país "desde a segunda metade de janeiro". (Ansa)