Jornal do Brasil

Internacional

China e França assinam acordos de US$15 bi durante visita de Macron

Jornal do Brasil

China e França assinaram contratos no valor de 15 bilhões de dólares durante uma visita do presidente Emmanuel Macron, disse uma autoridade do governo chinês nesta quarta-feira.

Foram firmados acordos nos setores de aeronáutica, energia e agricultura, incluindo a aprovação para 20 empresas francesas exportarem aves, carne bovina e carne suína à China.

Macaque in the trees
Presidente francês, Emmanuel Macron, e presidente chinês, Xi Jinping, durante encontro em Pequim (Foto: Nicolas Asfouri/Pool via REUTERS)

Os dois lados também concordaram em ampliar um protocolo de exportação de aves acertado neste ano para incluir patos e gansos, além de foie gras, e em trabalhar em um protocolo que permitiria à França exportar sêmen de porco à China, informou um comunicado do escritório de Macron.

Ele chegou à China na segunda-feira e deve partir ainda nesta quarta-feira.

Entre os acordos de energia há um memorando de entendimento entre a Beijing Gas Group e a prestadora de serviços francesa Engie para colaborar em um terminal de gás natural liquefeito (LNG) e armazenamento na cidade de Tianjin, no norte chinês.

Um executivo da Beijing Gas Group disse à Reuters que a cooperação com a Engie incluiria o fornecimento de tecnologia de membrana da empresa francesa, que é usado para prevenir o vazamento de gás, nos grandes projetos de armazenamento de gás em que a China está embarcando. Entre os outros acordos, a francesa Total montará um empreendimento conjunto com a chinesa Shenergy Group para distribuir LNG de caminhão ao delta do Rio Yangtzé.

Os dois países também concordaram em chegar a um acordo até o final de janeiro a respeito do custo e da localização de uma instalação de processamento de combustível nuclear a ser construída pela Orano, antes conhecida como Areva.