Jornal do Brasil

Internacional

Funcionário da missão britânica em Hong Kong é detido na China por "solicitar prostituição"

Jornal do Brasil

Um funcionário do consulado britânico em Hong Kong foi detido na China por envolvimento com prostituição, noticiou o jornal estatal chinês Global Times nesta quinta-feira, e o Reino Unido disse que continua a buscar informações com urgência.

O Ministério das Relações Exteriores chinês confirmou na quarta-feira que o funcionário, Simon Cheng, foi detido na cidade fronteiriça de Shenzhen, que faz divisa com Hong Kong.

Em uma reportagem publicada em seu site de língua inglesa, a publicação do jornal oficial Diário do Povo do governista Partido Comunista citou a polícia de Shenzhen, segundo a qual Cheng foi detido por 15 dias por "solicitar prostituição".

A polícia de Luohu, um distrito de Shenzhen, disse que Cheng violou o artigo 66 da lei de penalidades administrativas em prol da segurança pública, acrescentou.

A lei determina que as pessoas que se envolvem na prostituição, ou que visitam prostitutas, sejam detidas por um período de 10 a 15 dias e que também podem receber uma multa equivalente a 705,15 dólares.

A polícia de Shenzhen orientou a Reuters a recorrer à reportagem do Global Times, dizendo que ela contém todos os detalhes relevantes, e não quis fazer outros comentários.

Em um comunicado, a Secretaria de Relações Exteriores britânica disse que continua a "buscar maiores informações sobre o caso de Simon com urgência".